leilão de imóveis

Leilão de imóveis: conheça os tipos

Participar de leilão de imóveis é uma forma de comprar uma propriedade por preços atrativos. A prática que está se difundindo aqui no Brasil apresenta valores até 70% mais baixos que o original. 

Além do valor baixo, os leilões possuem formatos distintos, embora a dinâmica de compra seja similar. O que muda são as regras e restrições, assim como o motivo que leva o imóvel a esta situação. 

Para que você entenda melhor como funciona um leilão imobiliário e conheça melhor os formatos, preparamos esse texto. Continue a leitura e tire todas as suas dúvidas. 

Como funciona um leilão de imóveis?

Caso você não conheça esse formato de transação, é um processo de venda de imóveis com valores abaixo do original. 

Esse desconto ocorre porque o bem possui dívidas que precisam ser honradas. Sendo assim, os lances dados pelos compradores possuem um valor médio para cobrir a dívida em aberto. 

O leilão imobiliário apresenta um valor mínimo para o lance inicial e os interessados disputam aquela propriedade, aumentando o preço. Quando não há mais lances, o último dado arremata o bem anunciado que nada mais é que a finalização da compra, por assim dizer. 

Quem comanda essa dinâmica é o leiloeiro, responsável por apresentar o imóvel e as informações mais relevantes sobre ele. 

É justamente a dívida que levou a propriedade a esta situação que definirá o formato do evento. Isso também se estende ao arremate e à posse daquele bem. 

Tipos de leilão de imobiliário

Não existe apenas um tipo de leilão, assim como não são vendidos apenas imóveis através dele. Esse evento pode ser realizado para a venda de automóveis, joias, obras de artes, entre outras mercadorias. 

Tanto para o imobiliário, como de outros produtos, há dois formatos distintos. Conheça a seguir mais detalhes sobre os tipos de leilão de imóveis. 

Leilão de imóveis judicial

Esse tipo está ligado a um processo judicial, ou seja, um juiz determinou que o imóvel fosse vendido. Neste caso, o processo pode ter tramitado tanto na Justiça Comum, como na Especial. 

Conhecer a origem da ação é algo importante, pois isso determina a forma como o leilão de imóveis será realizado.  

O leilão judicial ocorre pela falta de pagamento de uma dívida após contestação na justiça, por isso o nome. Para que isso ocorra, as causas podem variar, mas o objetivo é sempre de quitar essa dívida. 

Situações como falência de empresas, disputa de herança entre os herdeiros, dívidas com o estado e até processos trabalhistas podem levar o imóvel a ser leiloado.

Vale ressaltar que o formato judicial torna a venda do imóvel mais complexa, já que o processo está em trâmite.

Leilão extrajudicial

Também conhecido como leilão de alienação fiduciária de imóvel, este tipo não é relacionado a processos. No entanto, ele é baseado na lei 9.514/1997 que leva o nome do leilão. 

Aqui o imóvel também vai a leilão em decorrência de inadimplência, porém a dívida é específica. No caso, a falta de pagamento de um contrato de financiamento pode resultar no leilão extrajudicial. 

O formato foi criado pensando nos agentes financeiros para recuperação do valor concedido através da linha de crédito. Esse leilão de imóveis é capaz de reaver rapidamente o valor do financiamento. 

Sendo assim, as instituições recuperam a posse do imóvel e o leilão ocorre para cobrir a dívida.

Esse formato também é bastante comum com veículos, visto que é um dos resultados para situações de busca e apreensão.

Agora que você já conhece os tipos de leilão de imóveis, terá mais familiaridade com esse formato de compra. E caso queira participar de um, é importante tomar alguns cuidados! 

Pensando nisso, listamos aqui 3 precauções para fazer a compra do imóvel em leilão com segurança. Acesse e tire suas dúvidas. 


Comentários estão desabilidatados para este post